Triângulo Mineiro / Esportes

Jovem dribla dificuldades, encara divididas e não desiste do sonho de se tornar jogadora profissional

Conheça a história de Karen

Do R7 Triângulo

O sonho de uma criança não tem limites nem barreiras. A maior prova disso é a jovem Karen Cristina Rodrigues Almeida, de apenas 13 anos. O R7 Triângulo foi conhecer a história dessa menina, que mora em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, que mesmo sabendo do descaso e da falta de interesse  com que é tratado o futebol feminino no Brasil, sonha em se tornar uma grande jogadora. Para alcançar este sonho não faltam inspirações, seja no campo ou na quadra, ela já escolheu seus ídolos.

A Karen se espelha em: Vanessa Pereira, atual campeã mundial e melhor jogadora de futsal do planeta, e também, lógico, em Marta, considerada uma das melhores atletas de futebol da história. Em comum, as duas são campeãs, habilidosas e artilheiras. Com estas referências, a jovem só poderia jogar como ala ou atacante respectivamente.

Em busca de seu sonho, a adolescente conta com o apoio, incondicional da família. Para a mãe, Neide, a paixão pelo futebol está no sangue, já que o pai dela atuou, por muito tempo, no futebol armador do Rio de Janeiro.

A mãe de Karen contou que a filha não tem outro hobby, que até já tentou dar outros brinquedos, mas não tem jeito, tudo que ela pede é bola e chuteira. Neide também ressaltou a força de vontade, determinação e positivismo da menina. Não importa o quanto difícil é, não importa as barreiras que são enfrentadas, ela não desanima e não deixa ninguém da família desanimar.

A maior incentivadora de Karen, Neide, tentou colocar a habilidosa jogadora em escolinhas de futebol da cidade, mas por conta da filha não ter muito espaço para desenvolver seu talento e ter poucas oportunidades, em virtude do ambiente machista, essa experiência não deu certo.

Atualmente, a menina brinca na Rua do Pavão, no Bairro Jardim Das Palmeiras, junto com outros 10 meninos, somente ela de mulher. Quem acompanha essa "pelada" todos os dias é a avó da jovem, Maria Das Graças Rodrigues, que cuida dela no período da tarde.

Karen contou que chega da escola, pega a chuteira e vai para rua jogar com os marmanjos. Ela falou ainda que os meninos não aliviam pelo fato de ela ser mulher, "só as vezes", mas mesmo assim, ela brinca, dribla e sonha um dia alcançar esse objetivo.

A família procura uma escolinha para colocar a jovem, onde ela possa desenvolver seu talento e, quem sabe, seguir carreira.

 

  • espalhe por ai


A A A A A
publicidade




Slider 02
publicidade